Horizonte

Não é difícil perceber, mas eu não faço a mínima idéia do que fazer da vida.

Nunca me imaginei fazendo uma carreira de 40 anos. 40 anos?!?!?! Num só lugar? Prefiro ficar sem tomar coca uma semana ( além disso me é humanamente impossível).

Talvez isso aconteça por que não sou o máximo em nada. Sou boazinha em muita coisas. Boazinha. 

Desde pequena eu quis ser esplêndida em alguma coisa na vida. Mesmo que seja apenas nessa coisa. Achava que era melhor do que não ser ótima em nada.

No presente, forço tudo o que posso e não posso para  me descobrir/ser ótima em algo. Mesmo isso não fazendo mais tanto sentido. Mesmo sendo infantil, ainda me comparo com tudo que tenho ao meu redor, como um patamar a alcançar.

Não canto bem pra caramba. Nem danço bem pra caramba. Sei que não escrevo bem pra caramba. E mesmo fotografar. Apenas bem, sem o caramba.

Quando eu era mais nova, já percebia isso, o que me dava uma boa dor interior de cabeça. Via pessoas exepcionais ao meu redor e sabia que jamais as alcançaria. 

Não adianta mentir. Sempre me comparei muito com o meu irmão. Ele é daquelas pessoas-cometas (não, não é estrela, é cometa mesmo). Artista completo ( canta, dança, toca, faz filme, piada, interpreta) além de intenso, sensível, impulsivo, bonito e fácil de fazer amizade e confiar. Preciso falar mais?

Cresci ouvindo que não deveria me comparar, que seria apenas eu a úncia afetada. Mas como não comparar? Não é a comparação que nos mostra o nosso tamanho perto do que temos ao redor? 

Durante bastante tempo, amancei o monstro da comparação bem no fundo do coração, tranquei a sete chaves num baú, e fingi esquecê-la.

Agora que a vida pede resultados, mesmo que alguns, eis que a comparação quebra todas as chaves e surge. Meu irmão já fez muito mais que qualquer pessoa que eu conheço da idade dele. Na minha idade ele já tinha feito mais. E eu?

Não sinto inveja. Adoro falar que sou irmã dele e ver os olhos das pessoas se arregalarem ao descobrirem. Mas a inevitável pergunta chega: os olhos dessas mesmas pessoas também se arregalam quando meu irmão fala que é meu irmão? 

Repito que não sinto inveja. Essa expectativa que as pessoas criam em mim por causa do Rô é quase como um combustível para que eu busque fazer coisas que são muito maiores do que eu. Já comecei a escrever dois livros. Escrevi algumas músicas. Danço todas as noites. Já escrevi muito. Tento sempre ser o mais simpática e amiga possível. Sem falsidade.

Mas às vezes, como hoje, -quando ligo para o Senac e vejo que se seis pessoas não se matricularem no curso que eu passei e que eu queria tanto fazer ( desde pequena, apesar de ninguém saber) só pra descobrir como o jornalistas conseguiam falar tanta coisa sem decorar na TV, corre o risco de ser cancelado- se torna extremamente difícil ficar com o coração leve. Meus planos que surgiram do nada em novembro, agora podem sumir da mesma forma como surgiram, pro nada.

Vou ser fotógrafa? Médica? Jornalista? Escritora? Tudo isso? Nada disso? Nada? Tudo?

Dá muito medo ver o futuro ali, cruzando a esquina, você, correndo sem freios para ele. É a mesma coisa de quando os navegadores do século XV olhavam para o horizonte e não fazia a mínima idéia do que os esperava.

Morro de medo de chegar aos 30 anos sem faculdade ( qualquer que seja), sem filhos, marido… sucesso. Não no sentindo de ser famosa. Mas de ser plena. Ter sucesso: ser reconhecida como aguém entre os melhores naquilo que faço. Não importa o que seja. O que eu fizer, tem que o ser o melhor. Confesso aqui meu perfeccionismo.

Sinceramente, eu só queria saber o que fazer agora. Nesse exato momento. Algo que eu faça muito bem.

Algo em que eu seja ótima.

Isso existe?

Anúncios

3 comentários em “Horizonte

  1. Olá Amanda,
    Te vi no QL e vim conhecer teu blog.
    Adorei seu texto, e confesso que várias vezes me sinto assim.
    Digna de quase nada, sei de tudo um pouco, porém quase nada de tudo.
    Complicado isso, deixa pra lá… rsrs
    Beijinhos e bom fds

    Obrigada por visitar!! Espero que tenha gostado!! Complicada mesmo essas história de tudo e nada…=/
    Bom fds pra vc tb!

  2. Hey diva!
    não eu não sumi, bom por um tempinho devo dizer que sim…
    hahaha
    e ae o que vc anda fazendo?
    quando começam as suas aulas??

    beijinhos

  3. Oi, Amandinha! Muito legal sua página, nem sabia que você a possuía, e que expressa tão bem seus amores, dores, temores. Com certeza, você é muito mais do que diz que é, pensa ser, e do que será, mas é gostoso “ler” um pouquinho de você, por você mesmo.
    Primeiramente, fiquei muito feliz em saber que você vai fazer ETED. Com certeza, será um tempo maravilhoso com Deus, de aprofundar os conhecimentos e amor que você certamente tem por Ele e Sua obra. Mesmo que, de certa forma, exista um desejo de talvez seguir os passos do seu irmão ( muito admirado por você inclusive), creio que é Deus que coloca em nós tanto o querer como o realizar, e por Ele você realizará todas as coisas que ele planejou APENAS PARA VOCÊ.
    É engraçado isso, porque nós somos sempre ensinados que o SUCESSO nos dá a medida do que somos, porem esse SUCESSO humanamente definido não é aquele que Deus deseja para seus filhos. Dái, desde muito cedo, aprendemos a cobiçar aquilo que não temos, querer ser aquilo que não somos, para preencher o buraquinho no amor próprio feito pelo excesso de cobranças. A necessidade de ser admirada, Amandinha, não vem de Deus. E as pessoas que normalmente admiramos ( as populares e fenomenais), porque assim o aprendemos, nem sempre são aprovadas por Deus.
    E não pode haver sucesso maior para um servo de Deus do que esse: SER APROVADO POR ELE. Daí, nesse ponto, a quantidade de admiração que você recebe das pessoas, que está diretamente ligada ao quanto você se encaixo no padrão de sucesso do mundo, NÃO VAI FAZER A MENOS DIFERENÇA. Esteja certa disso.
    Eu gosto muito do conceito que envolve as obras do RICK WARREN, da tal da vida com propósito. Cada dia que passa, tenho mais certeza de que Deus tem um para cada um, e derrota é sair dele. Uma vida de “sucesso e admiração” só compensa se for para a Glória de Deus. Só dEle. Alem de tudo, é uma vida arriscada, pois pode trazer consigo a soberba, a ganância, e o conseqüente afastamento de Deus.
    Portanto, Amandinha, não se preocupe, tampouco busque o reconhecimento das pessoas. E acredite, essa impressão de que há um senso comum a respeito do sucesso de seu irmão ( beijos Rô!), está mais em sua mente do que em qualquer outro lugar. Não, não estou dizendo que ele não seja tudo isso o que você disse, mas eu tenho certeza de que, para Deus, todos somos igualmente amados e suscetíveis de agradar Seu coração.
    Sucesso EM DEUS para você!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s