Palavra Viva

Há certas palavras que são indizíveis.

Se quer tenho coragem de pronunciá-las , tamanha a força que me arrebata. Como uma onda que quebra na rocha.

Elas pertencem ao futuro, nada muito distante, mas talvez  justamente por  isso elas me assustem tanto.

Ao mesmo tempo em que fico petrificada de medo de falá-las, sou obrigada a dizê-las. Como se fosse morrer se não dizê-las.

Não vivo com sem elas. Não vivo sem com elas.

Sou vítima da minha própria linguagem, que me confunde e me dá rumo.

Palavras.

Quando as quero e necessito delas, fogem de mim como um bichinho assustado.

Quando as quero esquecer, fazem chuvas de martelos na minha mente, me obrigando a parar a vida para observá-las, dar-lhes atenção.

Odeio contradição.

Mas nunca conheci alguém tão contraditório quanto eu.

Ou você.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s