Vida x Lixo

Algo perturbadoramente assustador me acordou de madrugada nesta noite.

Era um grito. Talvez de um adolescente. Gritava por socorro. O silêncio que inundava o bairro era asfixiante. Medonhamente paralisante.

Eu estava sonhando. Mal lembro com o quê. Nunca acordo quando estou sonhando. Nem quando meu cachorro late na minha porta. Se sonho, não acordo.

Talvez seja assim na vida real também. Eu sonho com tantas coisas que acabo não ouvindo o barulho fora da minha cabeça.

Mas essa noite foi diferente. Eu acordei com essa pessoa. Xingava alguém mandando-a tomar no ** e pedia socorro.

Acordei ofegante. Queria fazer alguma coisa, mas faria o que?

Fujo de todos os estereótipos que me cercam, e mesmo assim, tantas vezes me torno escrava deles. Talvez por vontade. Talvez por medo.

Às vezes tenho vontade de mudar o mundo; mesmo que seja sozinha. Que qualquer coisa fique diferente, já é suficiente. Ajudar todas as pessoas que estao na rua. Distribuir dinheiro a todos que tem dívidas. Curar todos os doentes. Orar com todos os perdidos e tristes. Abraçar todos que quiser ( precisando eles ou não). Fazer qualquer coisa que faça as pessoas ao meu redor perceberem que o lixo em que elas vivem pode ser jogado em um lugar que não seja o coração delas. Que não seja a vida delas. Há coisas muito melhores do que procurar qualquer coisa em uma lata de lixo que nos faça subsistir um minuto a mais. Mesmo que este minuto seja dos mais tristes e solitários.

Sempre existe algo melhor.

Não me conformo facilmente. Nem com o bem, nem o mal. Como pode existir alguém que se conforme em ser triste, vazio e solitário? Me recuso acreditar que esse alguém nunca sentiu raiva de si mesmo por essa vida que tem.

Deus nos dá a vida. Mas somos responsáveis por ela. Ninguém é coitado nesse mundo.

Todos pagamos o preço por esse lixo que cultivamos.

Eu não levantei da cama para abrir a janela e pelo menos ver o que acontecia com o xingador que precisava de ajuda. Apenas chorei pela minha incapacidade de abrir a mão, de fazer qualquer diferença em um lixo a céu aberto que chamamos de vida.

Chorei e orei, pelo ser perdido que vagava sem casa numa madrugada gelada numa rua rica e deserta da maior cidade do país. O “guarda” apitava ruidosamente. A quem ele queria enganar com aquele apito? Estava defendendo a quem afinal?

A quem dormia o sono profundo?

A quem temia a janela aberta e um pedido direto e inútil?

A si mesmo?

A quem você protege do lixo que criamos para nós mesmos?

Anúncios

Um comentário em “Vida x Lixo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s