Carta de Despedida

Foi muito bom. Muito bom mesmo.

Chorei como nunca chorei na minha vida. Ri todas as risadas do mundo.

Voei algumas vezes. Me apaixonei. Me decepcionei e me surpreendi.

Nesse tempo, me transformei diversas vezes.

Saí de casa, bebi, caí (muito) e levantei (com a ajuda de quem sempre estava por perto).

Quase morri de saudades (literalmente).

Teve horas que eu quase não agüentava mais olhar alguns rostos, mas agora, pagava quantas Cocas pedissem para vê-los de novo.

Li. Parei de ler. Voltei a ler em dobro.

Me descobri um pouco mais. Percebi o que me dá segurança. Percebi que amo abraços e não posso viver sem eles. Amo mãos dadas.

Conheci alguns dos meus melhores amigos, que com certeza, levarei para o resto da vida.

Vi que, na verdade, eu quero sim conhecer o mundo e dar um abraço em cada cultura existente.

Bater fotos me deixa feliz.

Aprendi que se eu não amar, não serei eu, e sim alguém que não fui eu quem inventou, e isso é muito triste. Se não amo, não vivo.

Tive muita dor. Alguns partos que me fazem uma das pessoas mais felizes desse mundo.

Aprendi como se faz para colocar um pé fora do jardim. Uma hora eu consigo pular pra fora com os dois. Ainda preciso colocar os tênis.

Em muitas madrugadas eu gritei de dor, muitas manhãs, eu quase não agüentei de cansaço. Muitas vezes, quis bater em alguém. Muitas vezes quis beijar alguém.

Vi o tipo de pessoa com a qual eu quero viver perto e me tornar. Me desliguei da preocupação de agradar a todos ( claro que não totalmente, mas a idéia é essa).

Vi que ter livros por perto me deixa tranqüila e segura. Também gosto de ter alguém por perto. Mesmo que não fale nada. Existe alguém ali comigo.

Estou com menos medo das pessoas. Menos medo de mim. Um pouco mais livre. Uma hora, saio mesmo do jardim.

Não sei ir atrás de ninguém (não importa pra quê e quem) e estou aprendendo a conviver com isso e deixar as pessoas virem até mim. Às vezes eu tento ir atrás, e isso pode causar muitas risadas e confusões para ambos os lados.

Esse tempo passou muito rápido, mas foi o mais intenso da minha vida. Comecei milhares de processos e agora tenho o desafio de terminá-los. Deus me ajude!

Não penso do modo comum. Nunca. Isso me ajuda a escrever. Mas acaba comigo em matemática.

Tenho sonhos completamente diferentes, mas que não são incoerentes.

Não seja incoerente comigo e nem descumpra suas promessas, por favor.

Meus 18 anos foram marcados por sentimentos intensos. Muita luz e muito breu.

Ainda tateio tudo.

Agora chegam desafios diferentes, igualmente intensos e difíceis, mas estou alegre por eles, minha vida está andando para frente.

Agradeço pela vida de cada um que conheço e conheci neste ano. Por todos que pegaram na minha mão e me ajudaram a seguir em frente.

Agradeço a quem confiou e acreditou em mim.

Agradeço ao imerecido e enorme amor que recebi e ainda recebo.

Meus 18 anos estão indo. Não teve nada a ver com o que eu imaginava quando eu tinha 10 anos. Graças a Deus! Esse ano foi bem mais colorido que qualquer outro que eu poderia imaginar.

Obrigada por tudo até aqui!

Agora é tudo novo de novo!

“Eu não sei pra onde a gente vai andando pelo mundo.

Eu não sei pra onde o mundo vai, nesse breu vou sem rumo.”

Anúncios

2 comentários em “Carta de Despedida

  1. Linda!
    Vou guardar este ano no coração!
    Seus 18 anos significam meus 18 anos também….como sua mm !
    Te amo :)) mm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s