Sede

Escreva, eles dizem. Escreva. E o que faço com o caos tão bem plantado dentro de mim? E viver? Viver não é essencial. Escrever. Escrever é essencial. Uma pausa na vida para que ela mesma continue, caótica como sempre, em seu redemoinho de fatos e ilusões. Junto aqui meu pequeno buraco negro de palavras desorganizadas … Continue lendo Sede

Anúncios

Pressa

Por que essa pressa? Por que tanta pressa em voltar pelo caminho para o começo? Ele era tão bom assim? Era. Porque não existia. Baseado em uma imaginação fértil demais. Em uma realidade mole demais, não encoberta totalmente pela verdade. Ou era a verdade que se acovardava e se escondia? A pressa. Havia pressa em … Continue lendo Pressa

Amor proibido

Todo mundo sabe a entidade que ele representa na minha vida, o tamanho e a importância que ele tomou ao longo do tempo. O quanto sou ridícula sem ele. E é por isso que escrevi outra ridícula carta de amor, porque estou com saudades. Às vezes, esqueço que o amor não segue recomendações médicas e … Continue lendo Amor proibido

Manga, limão, bicicleta, coração

Ela tinha vivido plenamente. Amou, bebeu, chorou, caiu, riu e fez rir. Não sabia o que estava fazendo, mas queria fazer e era isso que importava. Gostava de mangas, bicicletas e música. Especialmente "aquela que fala de amor". Os olhos cor de limonada brilhavam, se agigantavam nos óculos para leitura. Loira, alta, poderia ser modelo, … Continue lendo Manga, limão, bicicleta, coração

A porta

A porta estava fechada. Essa era sua condição há tempos. Nem ela se lembrava quando fora tocada a última vez. Mas se lembrava do vento. Fora ele que a jogara contra o batente, forte e bruto, fazendo-a ficar assim, trancada entre a rua e a sala, entre o seu mundo e o dos outros. Desde … Continue lendo A porta